Lémure-de-cauda-anelada (Lemur catta)

Lémure-de-cauda-anelada

Lémure-de-cauda-anelada (Lemur catta)

Lémure-de-cauda-anelada (Lemur catta)

Nome comum:  Lémure-de-cauda-anelada

Nome científico: Lemur catta

Ordem: Primates          Família: Lemuridae

Distribuição: No Sul e no Sudoeste  de Madagáscar.

Habitat: Encontram-se em zonas rochosas com vegetação esparsa e em florestas abertas de regiões secas.

Tamanho adulto: Comprimento: 39-46 cm; Cauda: 56-62 cm; Peso: 2,5-3,5 kg.

Características biológicas e comportamento: Estes lémures podem ser facilmente reconhecidos pelas suas caudas compridas e tipicamente aneladas com riscas alternadas brancas e negras. Eles possuem corpos esguios, orelhas triangulares, focinhos compridos e grandes olhos. A pelagem do corpo é acinzentada, mais pálida na região ventral e mais avermelhada na região dorsal, e ostentam uma “máscara” preta e branca na face. Os machos e as fêmeas são muito parecidos, não existindo dimorfismo sexual. Os machos possuem glândulas odoríferas: nos pulsos, mais desenvolvidas do que nas fêmeas e providas de espigões córneos, mas também na região genital e sobre o queixo, enquanto que as fêmeas têm glândulas deste tipo na região genital. Estes lémures usam essencialmente as secreções destas glândulas para a demarcação dos territórios, de facto como os odores são característicos de cada individuo, estas marcas feitas pelos esporões dos machos por exemplo informam os lémures do mesmo bando ou de bandos vizinhos sobre qual o lémure que ali esteve e qual o bando a que pertence esse pedaço de território.

Embora sejam exímios trepadores, estes lémures de hábitos diurnos deslocam-se imensamente no solo. Alimentam-se principalmente de folhas, flores, frutos, rebentos e herbáceas.

São animais gregários que vivem em grupos sociais de 3 a 24 indivíduos. Estes bandos defendem seus territórios de outros, particularmente na época de reprodução. As fêmeas são dominantes em relação aos machos, tendo uma hierarquia nítida entre elas e permanecendo sempre no seio do grupo, enquanto que os machos tendem a transitar de grupo para grupo.

Na época de acasalamento, que ocorre em geral em meados de Abril, os machos competem por meio de vocalizações e de lutas odoríferas, nas quais usam as glândulas odoríferas dos pulsos e da região genital friccionando-as contra as suas caudas que apontam posteriormente aos seus oponentes.

A gestação dura 134 a 138 dias, e nasce, em regra, apenas uma cria (por vezes duas) que amamentam durante 5-6 meses. Nos primeiros tempos, os filhotes deslocam-se agarrados ao pêlo da mãe, começando por agarra-se aos pêlos do ventre desta e depois ao seu dorso, tornando-se gradualmente independentes. Atingem a maturidade sexual com cerca de 2 anos, sendo os machos capazes de se reproduzirem com cerca de 2,5 anos de idade, enquanto que as fêmeas têm geralmente as suas primeiras crias apenas aos 3 ano